quarta-feira, 23 de outubro de 2019

PECUÁRIA: NOVO PROJETO DE COOPERAÇÃO NO MALI

Liderança mundial brasileira na exportação de carne bovina motivou interesse do país africano em solicitar cooperação no tema

Dados os excelentes resultados dos projetos em curso da cooperação técnica do Brasil com o Mali, uma nova demanda de cooperação foi apresentada ao governo brasileiro pelo país africano. O projeto cobrirá atividade de extrema importância cultural, social e econômica para o Mali: a pecuária de corte.

A solicitação de cooperação foi enviada ao Brasil no primeiro semestre de 2019 e, como resultado, uma delegação brasileira foi ao Mali entre os dias 7 a 11 de outubro para diagnóstico, levantamento de informações e dados do setor, de modo a desenhar os objetivos específicos do projeto.


Participaram da missão representantes da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) do Ministério das Relações Exteriores (MRE), coordenadora e financiadora da iniciativa, e três integrantes do Departamento de Zootecnia (DZO) da Universidade Federal de Lavras (UFLA), entre eles o prrofessor Carlos Eduardo do Prado Saad, chefe do Departamento.

Esse tipo de ação preparatória é fundamental para que o desenho do projeto responda às reais necessidades do país cooperante. Para tal, a delegação brasileira reuniu-se com autoridades do Ministério da Pecuária e Pesca do Mali e realizou visitas de campo a propriedades rurais de criação de gado e abatedouros.


Para o desenho do projeto, definição dos objetivos gerais e específicos, atividades previstas, resultados esperados, etc, foi organizado seminário colaborativo, que contou com a participação de diversos atores malinenses, além da delegação brasileira. A atividade permitiu que todos pudessem se envolver e contribuir ativamente com suas ideias e experiências.

Com o nome tentativo, “Aumento do potencial produtivo de carne bovina no Mali – Mali Pecuária”, a nova iniciativa terá como foco contribuir com o incremento das exportações de carne bovina no Mali, por meio do aumento de produção e de produtividade de carne bovina de qualidade nas regiões do entorno de Bamako e Kaye.

Por meio de capacitações proferidas pelos especialistas da UFLA a técnicos do Ministério da Pecuária e Pesca, o projeto contemplará atividades de reforço de capacidades técnicas e institucionais na área de alimentação de bovinos, sanitária, gestão operacional de abatedouros e reprodutiva. Nessa última, em especial, prevê-se a introdução da raça de gado bovino Nelore, no Mali, para melhoramento genético das raças locais durante processo de reprodução.

Os especialistas brasileiros encontraram-se duas vezes com a ministra da Pecuária e Pesca do Mali, Kane Rokia Maguiraga, o que demonstra o grande interesse, ao mais alto nível, que o governo malinense tem pelo novo projeto. A ministra Maguiraga participou ainda de um almoço na Embaixada do Brasil no Mali, no âmbito de visita oficial do Diretor-Adjunto da ABC.

Segundo a ministra Maguiraga, o fato do Brasil ser um dos maiores exportadores de carne do mundo estimulou o Mali a solicitar cooperação nesse tema. “Além disso, o Mali gosta de cooperar com o Brasil. Nossas semelhanças, em termos de clima, vegetação e solo, nos aproximam”, afirmou Maguiraga.

O documento do projeto encontra-se agora em fase de desenho final e ajustes, para depois ser revisado por todos os parceiros envolvidos na iniciativa e, finalmente, ser assinado.


A cooperação técnica com Mali está amparada no Acordo Básico de Cooperação Técnica entre o Brasil e a União Africana, de 2007, e conta atualmente com dois projetos bilaterais em execução, ambos na área agrícola, e uma iniciativa trilateral em parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), para a promoção do trabalho decente na cadeia produtiva de algodão.

com Janaína Plessmann - da assessoria da ABC-MRE

MP FIRMA ACORDO MUNICÍPIO DE CARRANCAS PARA RECUPERAÇÃO DE ÁREA DE ANTIGO LIXÃO

 Local da última vala de aterro em imagem de fevereiro de 2018

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da Coordenadoria Regional das Promotorias de Justiça do Meio Ambiente da Bacia do Rio Grande, firmou, nesta segunda-feira, 21 de outubro, Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o município de Carrancas, no Sul de Minas, para garantir a recuperação integral da área onde funcionava o antigo lixão municipal.

De acordo com o TAC, em 2018, o MPMG instaurou Inquérito Civil para apurar irregularidades no funcionamento da usina de triagem e compostagem de resíduos sólidos urbanos do município. No curso do procedimento, a Administração Municipal fez as adequações necessárias no estabelecimento e obteve a autorização ambiental de funcionamento. 

Além disso, passou a conferir destinação ambientalmente adequada aos resíduos sólidos urbanos, encaminhando-os a aterro sanitário licenciado situado no município de Juiz de Fora.

No entanto, conforme verificado pelo MPMG, a área antes utilizada como “lixão” permanece degradada, com significativo passivo ambiental de responsabilidade do município, o que levou à realização do acordo. Por meio do TAC, o Executivo Municipal compromete-se a: apresentar, em até 120 dias, o Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos; cercar e sinalizar a área do lixão, impedindo o acesso de pessoas e animais; elaborar e executar o Plano de Recuperação de Área Degradada; realizar pesquisa epidemiológica e estudos de qualidade de solo, subsolo, lençol freático, nascentes e curso d'água, em até 180 dias, comunicando a Fundação Estadual do Meio Ambiente em caso de suspeita de contaminação; grafar o terreno em que funcionava o lixão como área proibida para edificação; e regularizar a reserva legal da propriedade rural, entre outras obrigações.
   
O coordenador regional das Promotorias de Justiça do Meio Ambiente da Bacia do Rio Grande, promotor de Justiça Rodrigo Caldeira Grava Brazil, destaca que a resolução consensual apresenta inúmeras vantagens para a sociedade e para o meio ambiente, como o aumento da celeridade na reparação dos danos e da conscientização dos gestores municipais sobre as questões ambientais.

da assessoria do MPMG

CAMPO BELO REFORÇA MEDIDAS DE SEGURANÇA


Os semáforos da cidade de Campo Belo, no Sul de Minas, passaram a funcionara com luz amarela piscante durante as madrugadas, no horário das 00h às 05h. A Divisão de Trânsito da Prefeitura esclarece que a medida foi adotada por questão de segurança, atendendo solicitação da Polícia Militar (PM), após parecer da Comissão Municipal de Trânsito.

Com os semáforos funcionando entre meia-noite e 5 horas, em sistema de alerta, com luz amarela piscante, segundo a própria PM, vai garantir mais segurança. A flexibilização noturna dos semáforos, nas madrugadas, promoverá mais segurança aos motoristas. 

Os cruzamentos com sinalização amarela intermitente impõem aproximações cuidadosas, nas quais os condutores de ambas as vias obrigam-se a conter a velocidade dos veículos, redobrando a atenção, porém não precisam ficar expostos a riscos aguardando a mudança de sinal.

LIDERANÇAS DA ENGENHARIA DE LAVRAS SE REÚNEM EM VARGINHA

A cidade recebe encontro promovido pelo Conselho para integrar, informar e ouvir profissionais, inspetores, entidades de classe, instituições de ensino e representantes do poder público

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-MG) iniciou, em setembro de 2019, mais uma série de ações no interior do estado. A ultima Reunião Regional entre as sete previstas para todas as regiões de Minas será realizada em Varginha, amanhã, quinta-feira, dia 24 de outubro. 

O objetivo é integrar, informar e ouvir profissionais, inspetores, entidades de classe, instituições de ensino e representantes do poder público das cidades de Alfenas, Andradas, Itajubá, Lavras, Machado, Poços de Caldas, Pouso Alegre, São Lourenço e Varginha. Já foram realizados encontros nas cidades de Curvelo, Divinópolis, Ipatinga, Uberlândia, Montes Claros e Juiz de Fora.

Para o presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Borges, a realização das reuniões no interior reforça o compromisso do Conselho em estar presente onde há atuação dos profissionais da engenharia, da agronomia e das geociências. "Nossas atividades não estão concentradas em um só local. Elas estão distribuídas pelo estado e por isso precisamos estar presentes em todas as regiões e ouvir os profissionais”, destacou.

Além de detalhar a fiscalização, os projetos, o papel e a estrutura do Crea-MG, as reuniões também são uma oportunidade para divulgar a Frente Parlamentar em Defesa da Engenharia, da Infraestrutura, do Desenvolvimento e dos Profissionais do Setor, instalada, em setembro deste ano, pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), e marcar o posicionamento contra a PEC 108/2019, que acaba com a obrigatoriedade da inscrição dos profissionais nos conselhos e transforma a natureza jurídica deles. Isto é, deixam de ser públicos para se tornarem privados, o que inviabiliza uma de suas principais atividades, que é a fiscalização.

Ponte Digital
Um dos projetos detalhados durante o encontro será a implantação do Ponte Digital, que vai agregar tecnologia, gestão e desenvolvimento interno. “As mudanças são pelo bem do Crea-MG, dos profissionais que dependem da nossa atividade e pelo bem da sociedade, que dá o sentido verdadeiro da nossa função pública”, explicou o superintendente de Relações Institucionais do Crea-MG, engenheiro civil Jean Marcus Ribeiro.

Uma das principais mudanças é a adoção de uma solução que unifica 17 sistemas utilizados internamente pelo Crea-MG, uma plataforma que já é utilizada por outros 14 Creas. Com ela, o Conselho vai ampliar sua capacidade de atendimento, de forma ágil e eficaz, facilitando a vida dos profissionais e da sociedade.

Serviço
Reunião Regional Sul
Data: 24/10/2019
Horário: 8h às 12h
Local: Sede da Inspetoria – Rua Santa Julieta, 51, Urupês - Vargin

BR-491 GANHA DUAS PLACAS DE SINALIZAÇÃO


A Superintendência de Trânsito de Alfenas, no Sul de Minas, informa que foram implantadas na última sexta-feira, 18, duas placas de regulamentação na BR-491 (sentido Areado/Rotatória), indicando aos condutores a proibição de circulação na Avenida Rui Martins dos Santos, de veículos cujo PBT – Peso Bruto Total (veículo + carroceria + carga) ultrapasse 16 toneladas.

A implantação da referida sinalização de trânsito está em conformidade com o manual de sinalização vertical, com autorização emitida pelo Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER-MG), destacou Leonardo Vilela de Souza, secretário municipal de Defesa Social.