sexta-feira, 27 de março de 2020

UFLA FAZ DOAÇÕES AO BANCO DE ALIMENTOS DE LAVRAS

Ação visa contribuir com segurança alimentar e nutricional no município

Com a suspensão das aulas na Universidade Federal de Lavras (UFLA) e interrupção do funcionamento do Restaurante Universitário - RU (medidas de prevenção ao Covid-19), departamentos da Instituição se organizaram para atender ao pedido de auxílio do Banco Municipal de Alimentos, responsável por assistir famílias em situação de vulnerabilidade socioeconômica e entidades assistenciais em Lavras. Hortaliças, café, ovos e cereais estão entre os produtos que serão repassados ao Banco.

Nesta quinta-feira, 26, já saíram do Centro de Desenvolvimento e Transferência de Tecnologia/Departamento de Agricultura (CDTT) cerca de 800 cabeças de alface e 700 maços de outras hortaliças folhosas, como rúcula, couve de folhas, cebolinha e salsinha, para abastecer o Banco Alimentos. Por essa parceria entre CDTT/UFLA e o Banco, as doações serão semanais, com retiradas a serem feitas sempre às terças e quintas-feiras. Esses produtos vinham sendo destinados ao RU desde o segundo semestre de 2019.

A iniciativa evita desperdícios no período de suspensão de aulas e contribui para que a população do município conte com esse suporte de segurança alimentar e nutricional no enfrentamento à pandemia.

Além das hortaliças, serão programadas também doações de ovos pelo Departamento de Zootecnia (DZO) e de outros produtos pelo DAG: milho e soja, arroz com casca para beneficiar e bananas do pomar da UFLA.

O Banco de Alimentos auxilia 16 entidades na cidade, bem como famílias em situação de vulnerabilidade social (acompanhadas pelos Centros de Referência de Assistência Social - Cras), escolas do município, Centros de Educação Infantil e outros projetos ligados à educação, como o projeto Semeart.

De acordo com a auxiliar administrativa do Banco de Alimentos Núbia Silva, que esteve no CDTT para buscar as doações, elas serão de grande ajuda: “precisamos de um quantitativo de gêneros suficiente para dar apoio a todos, e isso auxilia, inclusive, na redução de circulação de pessoas em busca de alimentos”, avalia. 

A UFLA recebeu, nesta semana, documento formal da Secretaria Municipal de Defesa Social de Lavras, solicitando doações de gêneros alimentícios disponíveis. A partir dessa demanda, a Direção Excecutiva analisou, com departamentos da Instituição, as formas possíveis de colaborar. 

Parte das doações feitas nesta quinta-feira, 26, já foi distribuída pelo Banco de Alimentos: 80 cestas verdes foram entregues. Grande percentual desses alimentos é destinada às crianças que não estão recebendo a merenda devido à suspensão das aulas. Os hortifrutis são complementos na qualidade nutricional ofertada a esses públicos.

Banco Municipal de Alimentos
Interessados em ajudar o Banco de Alimentos podem contribuir com doações diversas. O Banco funciona na Rua João Gonçalves Godinho, nº 195, Jardim Europa, Lavras. O telefone de contato é (35) 3826-6195.

CDTT
A 18 quilômetros da Universidade Federal de Lavras está o Centro de Desenvolvimento e Transferência de Tecnologia, localizado na rodovia Ijaci-Macaia. No local, são feitos plantios de diversas culturas - em apoio ao desenvolvimento de atividades de ensino, pesquisa e extensão da universidade. Os alimentos produzidos a partir desse trabalho são, desde o segundo semestre de 2019, destinados semanalmente ao Restaurante Universitário da UFLA, atendendo à quase totalidade de sua demanda de hortaliças folhosas.


No CDTT, atualmente, são desenvolvidos mais de 25 projetos e pesquisa e extensão nas áreas de olericultura, melhoramento vegetal, agricultura orgânica, grandes culturas (soja, cana-de-açúcar e milho), sementes, mandioca, biológicas, contando com a participação efetiva de professores, servidores técnico-administrativos e estudantes de graduação, pós-graduação e pós-doutorado da UFLA. O local funciona como apoio ao desenvolvimento de aulas práticas e campos de estágios para o curso de Agronomia e demais cursos da UFLA.

São entregues, semanalmente, cerca de 800 cabeças de alface ao RU, 160 maços de rúcula, 100 maços de couve de folhas, 240 maços de cebolinha e 200 maços de salsinha, além de outros produtos como pepino e couve-flor. Excedentes de produtos cultivados para experimentos desenvolvidos no CDTT também passarão a ser entregues no RU, como tomate, batata-doce, abobrinha, brócolis, entre outros.

Os produtos são cultivados sem o uso de defensivos e com acompanhamento constante, sob coordenação do professor do Departamento de Agricultura e coordenador do curso de Agronomia Valter Carvalho de Andrade Júnior. 

“Estima-se que essa ação do CDTT, do Departamento de Agricultura (DAG), feita em conjunto com a Direção Executiva da UFLA, representará uma economia para o RU de mais de 250 mil reais anuais, já que dispensa a compra de hortaliças e garante o consumo de produtos seguros, sem resíduos de produtos químicos”, diz o professor.

LAFAYETTE DE ANDRADA PARTICIPA DA PRIMEIRA SESSÃO VIRTUAL DA CÂMARA DOS DEPUTADOS

Aprovados projetos importantes para superar a crise econômica e sanitária provocada pela Covid-19

O deputado Lafayette de Andrada (Republicanos-MG) participou da primeira sessão virtual da Câmara dos Deputados nessa semana. Uma sessão histórica, realizada remotamente, por causa da pandemia do coronavírus (Covid-19). Todos os deputados puderam participar de suas casas, discutindo e votando projetos importantes para o Brasil. 

“Esse sistema possibilita que os deputados possam se reunir e votar projetos e ações para que o Brasil possa se defender dessa doença que está assolando o mundo. Com esse sistema, todos os deputados e funcionários envolvidos nas votações da Câmara podem continuar trabalhando, em segurança, sem o perigo de se contaminar ou contaminar outras pessoas. Dessa forma, contribuímos duplamente: não espalhamos o vírus e fazemos com que o País continue funcionando por meio de leis e medidas necessárias aprovadas pelo Congresso”, avaliou Lafayette.

Entre as propostas aprovadas está o projeto de lei 696/20, que libera o uso de telemedicina, em caráter emergencial, enquanto durar a crise ocasionada pelo Covid-19. A proposta foi aprovada pelo Sistema de Deliberação Remota e segue para o Senado Federal. 

A telemedicina será autorizada para quaisquer atividades da área da saúde. O uso de tecnologias de informação e de comunicação, como videoconferências, poderá ser destinado à oferta de serviços ligados à saúde.

Os deputados também aprovaram o projeto de lei 786/20, que prevê a distribuição dos alimentos da merenda escolar às famílias dos estudantes que tiveram suspensas as aulas na rede pública de educação básica após a epidemia do coronavírus. A matéria, também aprovada pelo sistema remoto, será enviada ao Senado.

Essa semana ainda acontecerão outras sessões virtuais, com projetos ligados à Covid-19 que visam o pagamento para as pessoas mais necessitadas durante o período da quarentena.

MAIOR FESTA RELIGIOSA E TURÍSTICA DE SÃO JOÃO DEL-REI É CANCELADA EM VIRTUDADE DA PANDEMIA DE COVID-19

O Descendimento da Cruz, a maior festa religiosa e turística da cidade, foi cancelado

Escolas e universidades públicas e privadas fechadas, restrições ao funcionamento do comércio e da área de serviços, desativação do trem turístico ‘Maria Fumaça’, sem previsão de retorno, e o cancelamento de todas as cerimônias da Semana Santa. Essas são algumas das principais ações para evitar a disseminação do novo coronavírus em São João del-Rei, nas Vertentes.

O prefeito Nivaldo Andrade assinou o decreto municipal 8.601, de 19 de março de 2020, que dispõe sobre medidas de prevenção ao contágio, de enfrentamento e contingenciamento, no âmbito do Poder Executivo, da epidemia de doença infecciosa viral respiratória causada pelo agente coronavírus (Covid-19). Determinou o recesso das escolas municipais até 31 de março que pode ser prorrogado conforme orientação da Secretaria de Estado da Educação.

A Paróquia de Nossa Senhora do Pilar, responsável pela realização da Festa dos Passos e da Semana Santa, cancelou a Procissão do Encontro, neste domingo, dia 22, e as solenidades da Semana Santa. As maiores atrações, como a Procissão de Domingo de Ramos, em 5 de abril, o Descendimento da Cruz e a Procissão do Enterro, marcados para a Sexta-Feira da Paixão, 10 de abril, também foram canceladas.

A não realização das principais solenidades da Semana Santa já provocou impacto na indústria do turismo, uma das principais fontes de renda da cidade. De 80 a 90% das reservas em hotéis e pousadas já foram canceladas. Em algumas pousadas do centro histórico, o cancelamento foi de 100%. Paralisado desde o dia 15 de março, o trenzinho Maria Fumaça é o principal termômetro do fluxo de turistas. Somente em julho de 2019, 18.279 pessoas fizeram o passeio até a vizinha cidade de Tiradentes.

A Câmara dos Vereadores suspendeu o expediente até 31 de março, inclusive a audiência pública do dia 26 de março, no plenário do legislativo, para discutir as despesas de 2021, como parte Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do município.

CORREIOS TRANSPORTA MATERIAL BIOLÓGICO E ITENS DE SAÚDE


No último dia 20, o Governo Federal emitiu o Decreto 10.828/2020 e a Medida Provisória 926/2020, nos quais estabelece os serviços postais como essenciais para sociedade. Em função da pandemia do novo coronavírus, causador da doença COVID-19, os Correios foram reconhecidos como operadores logísticos fundamentais em ações que possam ajudar na contenção da propagação do vírus, em função de sua capilaridade, com presença nos 5.570 municípios do Brasil.

Uma das recentes medidas nesse cenário foi o compromisso assumido pela estatal de transportar material viral para pesquisas em universidades brasileiras e outros centros de estudos

O procedimento consiste em coletar e embalar o material biológico, seguindo rigorosas normas de segurança, no Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo, e o enviar a cinco universidades: Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), USP/Ribeirão Preto, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e FEEVALE (Novo Hamburgo/RS).

Vale lembrar que itens como remédios, vacinas e outros produtos importantes nesse momento para a população serão transportados pelos Correios, confirmando o viés social que a estatal sempre teve com a prestação de serviços públicos. Um outro exemplo bem recente nesse sentido foi quando, diante do cenário de catástrofe provocado pelo período de chuvas, os Correios assumiram o compromisso de entregar donativos às localidades atingidas. 

A estatal apoiou o trabalho de órgãos públicos, Polícia Militar e Defesa Civil, que recolheram as doações e precisavam de ajuda para a distribuição delas.

Em nota oficial da empresa, distribuída nesta semana aos seus colaboradores, o presidente da estatal, Floriano Peixoto, afirmou: “Tais ações demonstram que os Correios, de fato, não podem parar, pois sua essencialidade reside muito além de seus negócios, o que tem sido comprovado ao longo de sua história, em momentos difíceis do país”.

FISIOTERAPEUTAS MINEIROS SE UNEM NO COMBATE AO CORONAVÍRUS

Diante do número crescente de infectados no Estado e da situação de emergência decretada pelo Governo de Minas, Conselho Regional de Fisioterapia já cadastra profissionais para atuarem nas UTIs
Anderson Luís Coelho, presidente do CREFITO-4 MG

Mais de 400 mil infectados com o coronavírus no mundo, com 18 mil mortes. Cerca de 2200 casos no Brasil, e 60 óbitos. Somente em Minas, são mais de 130 pessoas com a doença. Preocupados com este cenário e cientes da importância da sua função neste ambiente, fisioterapeutas mineiros se uniram em prol da saúde pública do Estado. 

Foi com este objetivo que o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 4ª Região (CREFITO-4 MG) resolveu criar um cadastro de fisioterapeutas especializados e especialistas em Fisioterapia Respiratória e em Terapia Intensiva, profissionais capacitados para atuar no enfrentamento ao coronavírus. 

A relação de fisioterapeutas será colocada à disposição do Governo do Estado, que já decretou, inclusive, situação de emergência, podendo atuar em todo o território mineiro. Os profissionais devem possuir especialização lato senso ou título de especialista profissional emitido por sociedade científica homologada pelo Conselho Federal da área, além experiência comprovada em atendimento a paciente crítico sob ventilação mecânica. O cadastro já conta com quase 350 profissionais.

Com aproximadamente 4.100 leitos de UTI no Estado, Minas possui cerca de 830 fisioterapeutas atuando nas unidades, com um déficit superior a 150. Com a pandemia, esta situação se torna ainda mais crítica, por ser este o profissional da saúde mais capacitado para atuar em UTIs. 

O fisioterapeuta atua, por exemplo, na higienização pulmonar, no combate à perda muscular, na preservação da qualidade de vida do paciente, além de trabalhar para evitar complicações pós operatórias e na reabilitação.

A importância desses profissionais é tamanha que o Ministério da Educação publicou, em parceria com o Ministério da Saúde, no último dia 13, portaria autorizando a possibilidade de estudantes do curso (que estiverem cursando o último ano curricular) realizarem, em caráter excepcional, estágio curricular obrigatório em unidades básicas de saúde, unidades de pronto atendimento, rede hospitalar e comunidades a serem especificadas pelo MS, enquanto durar a emergência decorrente da COVID19.

O presidente do CREFITO-4 MG, Anderson Luís Coelho, falou sobre a atuação dos fisioterapeutas mineiros nos hospitais do Estado em decorrência do coronavírus. 

“Somos linha de frente no combate à COVID-19 no Estado. Fisioterapeutas estão em contato direto com os infectados, atuando nas UTIs, trabalhando pela sobrevivência e reabilitação. Além de realizar o pré-cadastro de profissionais aptos a atuar no enfrentamento à pandemia, temos trabalhado para que fisioterapeutas tenham acesso aos Equipamentos de Proteção Individual, os EPIs, que têm faltado em muitos hospitais do Estado. Já solicitei ao TCU autorização para que CREFITO-4 MG adquira, por meio de recursos econômicos próprios, os EPIs para os nossos profissionais que atuam em instituições de saúde públicas em atendimento a pacientes em diagnóstico, suspeita ou infecção pela COVID-19”.