terça-feira, 28 de setembro de 2021

POÇOS: FONTANÁRIOS RECEBEM PLACAS COM “QRCODE” INFORMANDO SOBRE A QUALIDADE DA ÁGUA


Agora, apenas com o uso do celular é possível ser informado sobre a qualidade da água nos fontanários monitorados pelo Departamento Municipal de Água e Esgoto (DMAE) de Poços de Caldas, no Sul de Minas, que está instalando placas com “QRCode” nos locais passando a informação em tempo real das análises feitas pelo laboratório da autarquia.

O “QRCode” é um código de barras bidimensional, cuja sigla QR vem do termo em inglês “Quick Response” (Resposta Rápida) usados para dar acesso instantâneo a alguma informação e que pode ser facilmente escaneado usando a maioria dos telefones celulares equipados com câmera.

A iniciativa foi tomada em razão de atos de vandalismo que vinham danificando os quadros colocados habitualmente nos fontanários contendo os resultados das análises, prejudicando os usuários e trazendo prejuízos financeiros a autarquia.


Fontanários
Poços de Caldas conta hoje com 21 fontes de água natural, monitoradas e cloradas pelo DMAE. Algumas delas têm mais de meio século de existência, como a Fonte Monjolinho e a Fonte dos Amores. Em todas essas fontes onde boa parte da população capta água para consumo domiciliar é feita a limpeza, higienização e, na maioria dos casos, a cloração. Um servidor do DMAE lotado no laboratório faz a limpeza dos fontanários e as análises da água são feitas no laboratório da própria autarquia. Semanalmente é feita análise bacteriológica e, a cada três meses, análise físico-química.

A cloração é necessária para evitar a contaminação por coliformes. Ela é feita com pastilhas de hipoclorito de cálcio, depositadas nos cloradores que ficam na caixa de contato das fontes. Com exceção da Fonte do Monjolinho, os demais fontanários passam por esse processo.

A água da Fonte Monjolinho localizada na Praça Tiradentes (Cascatinha) tem natureza radioativa e ação diurética. Ela é classificada como água potável de mesa.

É recomendável que a água captada nas fontes seja consumida no prazo máximo de uma semana e os recipientes ou galões submetidos à limpeza com detergente ou água sanitária antes do uso, sendo depois bem lavados com água para tirar o excesso desses produtos.

CÔNSUL GERAL DA ESPANHA APOIA CANDIDATURA DE CAXAMBU A PATRIMÔNIO DA UNESCO


O município de Caxambu, no Circuito das Águas, foi representado pelo chefe do Executivo Diogo Curi na Universidade Federal de Lavras (UFLA) em reunião com o cônsul geral da Espanha para MG, SP e RJ, Luiz Prados Covarrubias, para tratar de assuntos referentes a projetos de preservação do Patrimônio Histórico e Artístico e da Proteção das Águas Minerais de Caxambu.

Na oportunidade foi solicitado ainda o apoio do cônsul à candidatura de Caxambu a Patrimônio da UNESCO e possíveis parcerias com a União Europeia. O encontro foi intermediado e presenciado pelo professor Carlos Fernando Delphin, representante no Brasil do Internacional Council on Sites and Monuments (ICOMOS).

Também estiveram presentes o diretor de Relações Internacionais da UFLA, professor Antônio Chaufun Junior, o ex-reitor e atual assessor da Reitoria, professor Antônio Nazareno Guimarães Mendes, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico de Caxambu, Amaro Gadbem, além de Isabelle Cury, arquiteta do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Durante as apresentações que abordaram outros diversos temas de interesse da região, aconteceu a doação da coleção de livros de Botânica “Flora de la real Expedition Botanica del Nuevo Reino de Granada” para a UFLA.

Em sua fala, o professor Carlos Delphin destacou o evento Caxambu 120 anos que acontecerá no dia 30 de setembro e o apoio a implantação de um local dedicado ao cultivo e exposição de ampla diversidade de plantas município.

Luiz Prados Covarrubias também se dispôs a ajudar na criação de um Jardim Botânico em Caxambu.

TESTES DAS SIRENES DO PAE DA USINA DE FUNIL ATENDE OBJETIVOS


Os testes das sirenes do Plano de Ação de Emergência (PAE) da Usina Hidrelétrica de Funil, localizada no rio Grande, pertencente à Aliança Energia, fazem parte dos procedimentos preventivos e visam a validação do Sistema de Alerta implantado nas cidades localizadas abaixo da barragem. 

As 11 estações remotas das sirenes do PAE da UHE Funil foram acionadas simultaneamente, no dia 14 de setembro, a partir das 14h30, sendo 8 na cidade de Ribeirão Vermelho e 3 no bairro Niterói, em Lavras, cobrindo uma área com cerca de 3.200 pessoas.

Segundo o coordenador da UHE Funil, Willian Rosa, o objetivo dos testes preventivos foi avaliar o pleno funcionamento de todas as instalações, de todas as estruturas e também uma oportunidade para que a população se familiarizasse com o som das sirenes. 

“É importante que os moradores saibam reconhecer o sinal caso seja necessário um acionamento”, esclarece Willian, destacando ainda que as barragens das duas usinas permanecem seguras, dentro das classificações de risco baixo, conforme já validado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e que periodicamente passam por inspeções e por controles de engenharia.

Além das equipes da Aliança Energia, a ação preventiva também contou com a participação de representantes da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar e foi destaque na imprensa local, nas regiões próximas às duas usinas, contribuindo para levar informações oficiais e confiáveis para as comunidades e evitando a disseminação de boatos e notícias falsas.

O PAE atende a Política Nacional de Segurança de Barragem e Política Nacional de Proteção e Defesa Civil. No mês de novembro estão previstos novos testes das sirenes do PAE da Usina de Funil para equalizar e validar a intensidade sonora e a abrangência do sistema de alerta. Na ocasião, também será realizada uma pesquisa junto à comunidade para identificar a percepção dos moradores das quatro cidades sobre o sistema de alerta. 

Desde 2019, anualmente, as sirenes que compõem o sistema de alerta são testadas, criando uma rotina que fortalece a cultura de prevenção, e a comunidade é orientada através de campanhas e ações de comunicação sobre como proceder.

SEBRAE MINAS E PREFEITURA DE FORMIGA ESTRUTURAM ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO

Workshop nos dias 28 e 29 de setembro lança a primeira fase do projeto com debates sobre a construção coletiva da visão de futuro do município

O Sebrae Minas e a Prefeitura de Formiga, por meio do Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia, Inovação e Empreendedorismo (Comcitie), realizam, nos dias 28 e 29 de setembro, das 13h às 18h, a primeira de três etapas do processo de estruturação da governança do Ecossistema de Inovação do município. O projeto visa ao desenvolvimento social e econômico da cidade e região, por meio de ações que garantam condições favoráveis à criação e sustentabilidade de negócios de todos os portes e setores.

Em formato de workshop, a primeira etapa é presencial e terá a participação dos membros do Comitê Executivo do Conselho de Inovação de Formiga. O encontro vai abordar a construção coletiva da visão de futuro do município. Esse trabalho inclui o mapeamento dos pontos de intervenção para a transformação do território sob a perspectiva da inovação, a elaboração de um plano de ação que potencialize as conexões existentes na cidade e o desenvolvimento de um modelo de ecossistema que permita uma abordagem sistêmica.

O projeto terá duas outras fases: o desenvolvimento de materiais e relatórios, e a realização de mentorias on-line por cerca de dois meses, a fim de acompanhar a implantação das ações definidas nas etapas anteriores.

Segundo a analista do Sebrae Minas Ana Caroline Pessoni, Formiga tem mercado que demanda soluções mais inovadoras, mas há uma desconexão entre os atores envolvidos e as iniciativas. “Com a estruturação desse ecossistema, partindo da identificação de seu grau de maturidade, formação da governança, construção do plano de ação e acompanhamento, os resultados passam a ser percebidos e mais empresas inovadoras se consolidam. Consequentemente, a economia do município é impulsionada”, explica.

PREFEITO E VICE DE BOA ESPERANÇA PARTICIPAM DA CERIMÔNIA DE TOMBAMENTO DO LAGO DE FURNAS


Em cerimônia realizada no último dia 22, na cidade de Capitólio, no Sul de Minas, o Governo de Minas iniciou o processo de tombamento do Lago de Furnas e Peixoto. O prefeito, Hideraldo Henrique Silva, a vice-prefeita, Silvana de Fátima Oliveira Rodrigues, e o chefe de Gabinete, Guaracylvio Schiavoni participaram da solenidade que é um marco histórico para os municípios banhados pelo Lago de Furnas e Peixoto. 

A medida vai proteger áreas, garantir as atividades turísticas e estimular geração de empregos e renda. O tombamento estabelece o limite mínimo do reservatório de Furnas em 762 metros acima do nível do mar, e o de Peixoto em 663 metros.