terça-feira, 9 de julho de 2019

AGUANIL E ELÓI MENDES TÊM NOVOS PREFEITOS

Prefeitura de Aguanil

Os municípios de Aguanil e Elói Mendes, no Sul de Minas, têm novos prefeitos e vices, escolhidos em eleições suplementares neste domingo, 7. Os candidatos eleitos deverão ser diplomados pela Justiça Eleitoral até o dia 26 de julho.

Em Aguanil, foram eleitos José Márcio de Oliveira e Ricardo de Oliveira, do PP, com 1.498 votos (48,43% dos votos válidos). Elias Assad Abrão (DEM) e Maxsalém Trindade Firmino (PSB), da coligação A Força do Povo (DEM/PSB/PSDB), ficaram em segundo lugar, com 1.328 votos (42,94%). Ao todo, 3.093 eleitores foram às urnas e 814 não compareceram. Houve 70 votos em branco e 197 votos nulos.

Em Elói Mendes, os eleitos foram Paulo Roberto Belato Carvalho e José Horácio Bueno Martins (Keko), do PV, com 7.712 votos (49,42% dos votos válidos). Thiago Joel Tavares (MDB) e José Ricardo Xavier (PTB), da coligação Para Elói Mendes mudar de verdade (MDB/PTB/PSDB), ficaram em segundo lugar, com 6.571 votos (42,11% dos votos válidos). Compareceram às urnas 15.604 eleitores e 4.200 deixaram de votar. Foram registrados 441 votos em branco e 880 votos nulos.

Normalidade
O domingo de eleição transcorreu com normalidade nas duas cidades. A votação foi encerrada às 17h nos três locais. A totalização dos votos em Aguanil terminou às 18h42’13’’; em Elói Mendes, 19h04’22’’. Nenhuma urna eletrônica precisou ser trocada e houve apenas uma ocorrência policial em Aguanil. Uma mulher estava distribuindo botons e camisetas. Ela foi detida pela Polícia Militar, prestou depoimento ao delegado da cidade e foi liberada.

Os eleitores que não compareceram às urnas neste domingo devem justificar a ausência até dia 05 de setembro de 2019 (60 dias após a eleição). Saiba mais sobre justificativa.

A eleição suplementar em Aguanil foi marcada devido à dupla vacância no Executivo municipal. O prefeito Sebastião Eloi de Souza Campos faleceu em outubro de 2017 e o vice-prefeito, Héliton Goulart Gonçalves, foi cassado (impeachment) pela Câmara Municipal em razão de infrações político-administrativas, em março de 2019.

As novas eleições em Elói Mendes ocorreram em razão de a chapa eleita em 2016 (Wiliam Cadorini e Marcos Miranda Sodré Mendes) ter sido cassada pelo TRE pela prática de conduta vedada a agente público em período eleitoral, com confirmação da condenação pelo TSE em abril de 2019. O prefeito, então candidato à reeleição, realizou a 12ª EXPOEM, evento custeado pela municipalidade e que foi considerado como promoção da campanha eleitoral.

Nenhum comentário: